Telejornalismo em Minas

Expressar as opiniões pessoais sobre um determinado assunto – natureza de muitos blogs. No jornalismo, o que não falta atualmente são palavras que exploram o cotidiano da profissão jornalista. Mas ainda falta, falta muito: algo que fale/discuta/questione as técnicas do telejornalismo regional. E elas são técnicas específicas, elaboradas muitas vezes na correria: fórmulas e mais fórmulas. Mas atenção, técnicas que não deixam de lado aquela essência do jornalismo. No post “Telejornalismo Minas” pretendo contar o dia a dia de um repórter de televisão de Belo Horizonte: dificuldades, a redação, a edição, a produção, o texto, as situações. Talvez antecipar algumas tendências. Utilizar um texto autoral é minha missão. Um texto longe daquele que é aprendido nos primeiros períodos da faculdade. Pode ser um texto jornalístico… ou não! Então, não estranhe o grande número de palavras que se reiteram, cacofonias e figuras de linguagem. Gosto também de abusar do tempo desconexo. Quem disse que esses elementos não podem ser utilizados para a aprendizagem? Sem dúvida nenhuma, o telejornalismo é hoje um dos maiores meios para a educação desse país: o jornalismo que educa. É através da TV que as mentes são abertas, ou não. Por isso, quem trabalha com TV sabe: somos educadores. É a oportunidade de falarmos para um grande público sobre tudo. Somos especialistas em idéias gerais. Sabemos alguns minutos de muitos assuntos. E nada sabemos. E o mais importante, não queremos ser poetas de um mundo caduco.

Que tal deixar o lead 1/3 de lado?

Abrir uma matéria (ou VT, nome mais utilizado na redação para as reportagens) é um dos exercícios que mais exige criatividade, agilidade e concisão. É também um dos momentos de maior dúvida e pânico para quem faz pela primeira vez um texto para a TV. Muitas vezes, há a predominância do texto impresso no primeiro OFF (narração).

Por exemplo,

O encontro dos amantes da caminhada aconteceu neste sábado, às 14h, na Praça da Liberdade em Belo Horizonte. O objetivo é incentivar a prática de exercícios físicos, o que traz benefícios para a saúde.

É comum, como iniciante na  prática, seja como estagiário, trainee ou foca – e que nunca teve contato com o telejornalismo – cometer esse erro. O seu editor, com certeza, vai alertar e indicar um caminho melhor para começar o texto. Uma técnica que é muito usada no telejornalismo é estar atento aos detalhes (rs, e é claro, uma técnica básica do jornalismo). Por que não começar o texto de forma mais light, interessante e que prenda a atenção do seu telespectador o tempo todo do jornal? Não é isso que queremos? Passar a informação correta, de uma vez só – já que o jornal televisivo não abre a oportunidade para o telespectador rever de novo a matéria para entender. Antes de sair da redação é extremamente importante de que o repórter imagine como vai ser o produto final. Não estou dizendo que o texto tem que sair pronto antes de você ir à campo. Não. Mas é importante você roteirizar tudo e pensar o que você quer destacar no VT.

Um exemplo de roteirização,

OFF 1 – Vou falar sobre a preparação dos amantes da caminhada

OFF 2 – Vou destacar alguns aspectos, como uma criança que participa da caminhada ou um idoso cheio de energia!

OFF 3 –  vou contar alguma história de superação e como a caminhada pode ajudar na saúde

PASSAGEM (Quando o repórter aparece no vídeo, amarrando a matéria, ou destacando uma informação visual) Vou falar sobre a última caminhada que aconteceu e os frutos que ele gerou e ainda destacar algo que faltou  da caminhada deste ano

OFF 4 – vou falar com o organizador do evento para dados mais técnicos

OFF 5 – Vou fechar a matéria com um personagem interessante, com uma boa história e que destaque que vale a pena a caminhada.

Com a roteirização, você evita surpresas na hora de fechar o seu texto, sabe como direcionar as perguntas ao entrevistado e elaborar melhor a passagem. Sabe aquele papo de deixar 1/3 o lead de lado na TV? Pois é! Na TV chamamos o lead de Cabeça… o texto que o apresentador vai ler chamando o seu VT! Se tiver com dúvida, você como iniciante, comece com o lead – a cabeça – e depois vá para o OFF 1. No assunto “amantes da caminhada” temos,

OFF 1 = PARA FAZER CAMINHADA NÃO PRECISA CAPRICHAR NA BELEZA/ BASTA UMA ROUPA CONFORTÁVEL E UMA PITADA DE BOA VONTADE//

Deu para sacar a importância de deixar de lado o tradicional lead do impresso? Na TV não há uma receita para o texto certo, mas algumas técnicas que pode deixar o texto mais atraente. Se de grão em grão a galinha enche o papo, chegaremos lá!

Anúncios