Fontes da Praça da Liberdade (BH / MG) começam a ser restauradas

Um refúgio na cidade. Onde caminhar é mais tranquilo. Em meio às árvores, você pode até encontrar cenas curiosas. E também ouvir os passarinhos. Ou fazer um tranquilo passeio com os cachorros. Em lugar tão plural como a Praça da Liberdade, a leitura fica mais agradável quando se tem por perto uma fonte de água.

Para registrar todas as riquezas, vale tirar fotos. Eternizar esse cotidiano bem mineiro. A Praça, aos poucos, está se transformando. E uma das protagonistas dela ganha vida nova. É a revitalização da Fonte dos Desejos, feita pelo IEPHA.

Primeiro os restauradores passam um produto para retirar as algas, os liquens e os fungos. Aos poucos, o mármore vai sendo revelado. Acredita-se que a Fonte do Desejos foi instalada em 1920, quando os reis da bélgica visitaram a capital.

Na Fonte, está a representação das três graças. Na mitologia grega elas são as deusas da dança, dos modos e do amor gracioso. Na parte superior, duas sereias e uma serpente.

Quem for à Praça da Liberdade poderá acompnhar o trabalho de restauração. Os tapumes para a revitalização da fonte são abertos. Uma boa oportunidade para conhecer melhor um importante patrimônio cultural.

A fonte próxima ao Edifício Niemeyer, conhecida como “A moça que fica mirando o espelho d’água” também vai passar por restauração. A expectativa é que em 3 meses tudo esteja pronto.

Casa da Ópera – Teatro Municipal de Ouro Preto / Minas Gerais

A antiga Casa da Ópera de Vila Rica

A arquitetura é do período colonial. A Casa da Ópera foi inaugurada em 1770, no aniversário de Dom João V. Hoje é também o Teatro Municipal de Ouro Preto. Um lugar que guarda muitas curiosidades. Por exemplo, uma janela, que funciona como uma concha acústica. Por causa dela, o som chega a todos os lugares da plateia com o mesmo volume. As cadeiras tem 104 anos. Os assentos são feitos de palhinhas, e o encosto é no formato de lira, um instrumento musical. Uma referência ao espaço que já recebeu e ainda abriga espetáculos de todo o tipo.

Entrada
Concha acústica

O teatro está no livro dos recordes por ser o mais antigo das Américas. Ele já passou por algumas mudanças. Antes havia uma escada que levava o público direto para a platéia. Hoje o acesso é feito pela lateral do teatro. A última restauração, em 2006, descobriu uma pintura em cima da boca de cena do teatro. É a representação do drama, da comédia e da música.

Camarote de Dom Pedro I / II
Energia colonial.

Um teatro de 240 anos também guarda muitas preciosidades. Uma delas está no palco. É o antigo ponto. Se o ator esquecia o texto, uma pessoa ficava no ponto para lembrar tudo. Do outro lado, na plateia, não se ouvia nada dessa cola. E tinha que fazer bonito, porque no camarote estavam importantes personalidades, como a família imperial.

Um quê de família imperial.

E Ouro Preto…

Cenas cotidianas - Ouro Preto
Ruas de Ouro Preto
Cenas cotidianas - Ouro Preto
Ouro Preto: cidade contemporânea também
Cenas cotidianas - Ouro Preto
Da janela do carro de reportagem

Feriado de Corpus Christi com prudência nas estradas

O número é fácil de decorar para denunciar a exploração sexual e a violência contra a criança. 0800 031 1119. A ligação não custa nada e é feita em sigilo. É assim que funciona a campanha “Proteja Nossas Crianças”. Em uma blitz educativa esta manhã no Belvedere, o pedido foi reforçado para muitos motoristas que vão viajar no feriadão: Denunciar faz a diferença!

A blitz educativa também serve para alertar os motoristas mais apressados. Com o feriadão, cresce o movimento nas estradas e os exemplos de imprudência também. A Polícia Rodoviária Federal vai reforçar a fiscalização. Vão ser 200 viaturas, 15 radares móveis e 135 etilômetros nas rodovias mineiras.

Nos postos da polícia rodoviária estadual da Região Metropolitana, a fiscalização também vai contar com reforços. Já o Departamento de Estradas de Rodagem vai fazer blitz em vários pontos do estado.

Meio ambiente de todos

Pode até não parecer, mas a Praça Sete em Belo Horizonte é um dos pontos mais varridos da cidade. Mesmo assim é fácil encontrar bitucas de cigarro, plástico, papel, embalagens e até isopor. Hoje alguns ‘varredores’ (bem lúdicos, com maquiagem e diria com muita boa vontade) fizeram a limpeza do lugar. Em 4 horas de trabalho recolheram de tudo um pouco. Palavra-chave: Conscientização!

A intervenção é organizada pela Associação Mineira de Defesa do Ambiente. Tudo para lembrar que o Meio Ambiente pede ajuda.